Apesar do horário de verão ter acabado, as altas temperaturas continuam e as piscinas são parada obrigatória para muitos. Todo esse calor aliado ao uso de protetores e bronzeadores acaba facilitando a proliferação de microorganismos, por isso, a análise de água de piscina é essencial.

Uma água com tratamento inadequado, ou pior, sem tratamento pode trazer sérios problemas de saúde como hepatite, micoses ou até pneumonia.

Fazer a análise de água de piscina, seja ela de uso coletivo, particular ou especial, não só garante a qualidade da água, como também evita esses danos.

Piscina de uso coletivo

São aquelas destinadas ao uso de diversas pessoas, como clubes, hotéis e academias, e estão frequentemente expostas a contaminações tanto do ambiente quanto de seus usuários e quando não tratadas corretamente, podem oferecer riscos como dermatoses, otites e conjuntivites.

Piscina de uso particular

Utilizada apenas por seus proprietários e pessoas próximas, também necessita de constante avaliação, já que pode haver anormalidades advindas do tratamento da água, do excremento de animais ou do uso de produtos como bronzeadores e protetores.

Piscina de uso especial

Reservada ao uso de caráter terapêutico, como hidroterapia, por exemplo, está igualmente propensa à contaminação devido às altas temperaturas da água, eliminação de bactérias durante a realização do procedimento ou ainda pela saliva, podendo causar infecções.

Tratamento da água de piscina

Independente da finalidade, felizmente existem ensaios laboratoriais que monitoram se a água está livre de riscos para seus usuários.

Por meio de uma minuciosa análise, é possível indicar os tratamentos físicos e químicos mais adequados para cada caso, atendendo aos parâmetros exigidos e evitando problemas futuros e garantindo a segurança dos utilizadores.

Por que fazer análise de água de piscina?

Além de classificar elementos como odor, PH, gosto, cor, coliformes totais, bactérias heterotróficas, escherichia coli, identificando o real estado e a qualidade da água.

Avaliar a situação, através de uma análise microbiológica da piscina, torna possível a orientação correta para devolver suas características originais da água e evitar a transmissão de algumas doenças para os usuários, como:

  • Infecções de ouvido, infecções de olhos, otites e conjuntivites, causados pela presença de microrganismos como a pseudomonas aeruginosa.
  • Infecções de pele e micoses, causados por microrganismos como a candida albicans.

Desta forma, a análise de água de piscina deve ser realizada mensalmente e parâmetros como cloro e pH, diariamente. No verão, esses cuidados devem ser redobrados.

Normas

As normas estabelecem condições biológicas, físicas, químicas e fisio-químicas mínimas de qualidade da água para garantir sua utilização sem que ocorra danos à saúde dos banhistas.

A Lei número 9.975, de 20 de maio de 1998, prevê a responsabilidade dos administradores em manter a qualidade de água de piscina e determina que seja feito um monitoramento no mínimo uma vez por mês, promovendo assim o seu controle bacteriano.

Já a Lei 9975/98 determina que a análise da água seja realizada ao menos 2 vezes por ano para pesquisar a presença de ameba, algas e leveduras.

A Norma ABNT NBR 10818:1989 coloca alguns critérios obrigatórios para a análise de água de piscina:

  • Qualidades biológicas: a água de piscina não pode apresentar bactérias do tipo coliformes e staphylococcus. A qualidade de água de piscina deve ser mantida para evitar que algas sejam proliferadas além do valor máximo determinado;
  • Qualidades físicas, químicas e físico-químicas: Determina a limpidez da água, o PH, além de apontar a concentração desejada de cloro na água.

O Laboratório Cavalieri é altamente capacitado para realizar a análise de água de piscina de acordo com toda a legislação vigente, com o uso de procedimentos e técnicas adequadas para manter a qualidade das piscinas.

As coletas de água e ensaio físico-químicos e microbiológicos atendem os parâmetros dos regulamentos da Portaria 518/2004 do Ministério da Saúde e RDC 274 e 275/05, Conama 357/05 e valores orientadores da CETESB.

Nossos técnicos fazem a análise in loco, avaliando desde as condições da piscina, análises da água no momento da coleta e coletagem de amostra para ensaios laboratoriais. Tais análises são obrigatórias em Juiz de Fora, fazendo-se necessária apresentação de laudos mensais ao sistema de fiscalização.

Para solicitar uma análise de água de piscina ou entender melhor sobre o assunto, mande um e-mail para analisesdeaguas@laboratoriocavalieri.com.br ou ligue para (32) 3215-5724!